quinta-feira, 23 de abril de 2009

Colírio de paz

Depois de ler essa linda frase sobre as minhas fotos no post anterior:
"Um colírio e uma paz aos meus olhos ultimamente cansados."

Resolvi fazer um post especial sobre isso. Uma vez li o seguinte do Martin Parr:
"Eu fotografo o que vejo, a realidade. O que as pessoas interpretam e sentem sobre as minhas fotos diz respeito a elas mesmas, não sobre o fotógrafo."

Frase polêmica, não? Eu concordo em partes, porque realmente fotografamos a realidade, mas existe um sentimento por trás da câmera. Acho que quando o fotógrafo consegue transmitir aquilo que sentiu no momento do click, é uma conquista. Engraçado, porque eu gosto de fotografar a realidade. Poucas das minhas fotos são montadas, o que torna a fotografia um pouco mais difícil. Os momentos passam ligeiros e a gente tem que puxar a câmera fotometrar e clicar antes que o momento acabe.

Bom, mas não era isso que eu queria dizer aqui. Queria postar essa foto abaixo, uma das primeiras tiradas com minha câmera nova. Foi muita emoção e paz de espírito nesse momento, cliquei no pôr-do-sol da praça Germânia em Porto Alegre.

3 comentários:

Thalita Medeiros disse...

linda foto :)
é, fotografar expontaneamente traz paz de espirito

Anderson disse...

Amo fotos de paisagens!
Sejam elas urbanas, naturais, etc.
Excelente final de semana para você!

*LIS disse...

Eu acho na verdade que e uma pouco de cada coisa (quanto ao que o fotografo falou). E um misto entre o que o fotografo sente, e quer dizer com o clique e o que a pessoa interpreta daquilo, carregando suas alusoes pessoais.

Essa foto eu gostei muito! Principalmente pela figura formada pelas nuvens, quase que como uma pincelada de aquarela. no ceu azul.

E fico lisonjeada por ter sido citada!